quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Poema para o fim

Cada dia se faz mais teu
aquilo que perderás

Até que ao morrer novamente,
perceba que as lágrimas
ocupam o lugar dos espamos

Elas te ressuscitarão após
a morte, por afogamento

E quando vierem novamente
mostrarão a ti que nunca viveste,
apenas morre lentamente