segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Aniversário


em alto mar
o horizonte apaga a luz
de uma vela

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Variações sobre um dia nublado


1
Depois da chuva à luz do dia andamos desprotegidos
sem sombra

2
Se está nublado e se está sozinho está sozinho
está sozinho

3
Depois da chuva se há uma enxurrada nem
minha sombra nada

4
Sem sombra em um dia nublado a solidão me pega
desacompanhado

5
Sem sombra e sol sai na rua sem rumo
um girassol

6
Se viajo com chuva no alto da serra minha mão e a neblina
uma nuvem minha

7
No horizonte da rua ensaia um sol
o amarelo do farol

Tanta neblina, menos mal
que antes que eu siga
um verde desliga
um sol no sinal

domingo, 29 de setembro de 2013

domingo, 25 de agosto de 2013

Estendem-se os amantes


Alongados na cama
tecem teias de braços
pernas, dedos
de corpos cacheados

Estendem-se os amantes

No vinco dos lençóis
a dobra da sobra
de um desembrulho

domingo, 11 de agosto de 2013

Cítrica

Essa história aconteceu na roça
Havia um pé de laranjeira
Um moleque trepado lá em cima
E minha tia menina no pé

Minha tia conta que caiu lá do topo
Uma folhinha com o escrito -
(feito com a ponta de um galhinho)
Quer namorar comigo?

Ela queria muito responder que sim
Apaixonada e dificílima
Escreveu do outro lado da folhinha
Que iria pensar...

sábado, 27 de julho de 2013

Segredo

Escrever pouco
é estar feliz o bastante
ou ficar triste muito pouco?

namorei um japonês
(mamãe diz)
um amor profundo
mas seu avô não deixava
porque japonês
era homem de outro mundo

"I got my sex...
I got my boobs..."
no itunes

Rindo muito
eu e mamãe aqui

(Hoje, minha mãe faz 50 anos...)

terça-feira, 2 de julho de 2013

Do amor que vale o silêncio [2]

À espera de tanto [a]mar

livrou-se do órgão no peito

a mulher à beira da onda

como a rocha litorânea

crivada pela água do mar

Do amor que vale o silêncio


Quão mais platônicos,
são frente a frente,
os amantes,
mudos.

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Todos os grilos no meu quarto

Vento, frio, chuva, arco-íris
todos os grilos no meu quarto
bem menos que no show do Mccartney

Verde, suco, besouro, abacate
fields de strawberries para quebrar o cerrado
guacamole no chilli avermelhado

Um buquê de flores de papel machê
de um romântico flamboyant
que a vizinha agora varre da minha calçada

terça-feira, 4 de junho de 2013

meu corvo
(que eu espero apareça para mim)
só não grasne
Nunca mais!
pois nunca mais
é de mais pra mim

sábado, 13 de abril de 2013

Se a linha do horizonte é turva

O que é céu?
O que é mar?

O que é grama?
O que é céu?

O que é água?
O que é ar?
 

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Raso

É tudo muito raso. Vivo em um ambiente onde tudo é muito raso. Penso no mar.  Se o mar no raso é seguro, distancio da areia. O intuito é me sentir pequena qual o mal não vejo. Saio de onde é tudo muito raso. No raso estão todas as afirmações da sua vida. Venha me dizer o contrário, irei ouvi-lo, porque quero ficar longe de onde tudo é muito raso. Penso no mar novamente. Discuto com ele. A discussão é essa, mais me separo do conforto das minhas afirmações, menor me transformo. Eu digo que posso, ele diz que talvez, talvez eu possa. Incapaz de lutar com a natureza, sou engolida pelo mar. Há quem tenha chegado na tangente e visto o que há depois da linha do horizonte. Ficar no limite é perigoso. Wuarrr, ouve só, o som da onda.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Reumatismo

Nasceu
            inclinado  
                            a ser alegre

inclinou-se, porém, e por doença

Triste

um homem com uma dor ser mais elegante


( das leituras de Bishop e Leminski )

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Gargalo

Como uma garrafa
chacoalhada por anos
e que já não percebe
que está sem tampa

não entende quando ouve gritar -
Supita!
Supita!

Como uma garrafa
chacoalhada por anos
e que já não percebe
que está sem tampa