quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Ana

Acabara de entrar no Museu do Vaticano quando uma senhora me ofereceu companhia para a andança. Ela era iraquiana, professora de matemática no Iraque, cristã, falava da guerra naturalmente, mas sussurrava toda vez que citava o nome do seu país. Estava visitando as irmãs que conseguiram se mudar há alguns anos para a Suécia, e havia ido a Roma apenas para ver a Basílica de São Pedro. "My hope in life is to see the Big Church". Tirava fotos com um celular antiguíssimo e mal sabia o que mais poderia ver na cidade. Disse que ela poderia ir ao Coliseu e ela me perguntou se o Coliseu também era uma igreja. Com ela cometi o ultraje de furar uma fila na Europa.


domingo, 9 de dezembro de 2012

Lá vão

Dois balões
         fincados no chão
nunca almejaram voar

Dois chãos construídos no ar
                                                             lá vão

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Variações sobre poesia e foda

1
é foda ver poesia em tudo

2
é poesia ver foda em tudo

3
é tudo ver foda em poesia

4
é tudo ver poesia em foda

em foda poesia é ver tudo
em poesia foda é ver tudo

mesmo sem ver nada
é foda
e é poesia

(poema feito da primeira divagação de Itamar Rios)


sábado, 3 de novembro de 2012

Tomates e cebolas

Por trás da bancada
pergunto à alguém que
corta tomates – porque
corta tomates assim?
Responde que corta
tomates assim porque sua mãe
cortava tomates assim e
sua avó cortava tomates assim
e que seus filhos cortarão
tomates assim e continuou
cortando tomates e
depois cenouras
batatas
cebolas
Pergunto - porque chora cortando cebolas assim?
Responde que chora
cortando cebolas assim
porque sua mãe chorava assim e sua avó
chorava assim e que seus filhos
chorarão cortando cebolas assim

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Voei

voei
pelas ruas de casa na infância
e depois que cresceu, nunca mais voou?
voei

domingo, 16 de setembro de 2012

Roma


um arco romano
em pleno desalinho
com os que recusam
se aprumar
os fios dessa cabeça
olham para a história
nessa cidade existe uma sensação de 
precipício às glosas ruínicas

respiram alento

nos jogaríamos

sábado, 2 de junho de 2012

Batismo

No recontar da contagem descobri
que o bicho com tantas cabeças de
mito sete não tem tantas cabeças assim que
a posição é baixo abismo que
há mais mãos, pernas, dentes a se preocupar que
se colocar um nome ele fica familiar

sábado, 19 de maio de 2012

Na rua

na rua toca uma mistura
de Alexandre Pires
Aline Barros e
Pamonha Assada

meu paraíso é aqui
meu amor
olha, pamonha
meu paraíso é aqui
Senhor

na palma da mão
Uberlândia
quentinha quentinha
me chama pelo nome:
"Olha, pamonha
Me faz um milagre"

fala pro irmão
que está ao seu lado

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Para D. Iraci

A incompatibilidade da
palavra com a escala
ventrindustrial:

mãe é palavra pequena

sexta-feira, 27 de abril de 2012

De queixo a 90 com o mar

De queixo a 90
com o mar
ela almeja um futuro
azul, comum, atum
so blue quando
olha para cima quando
olha para baixo
retoma às realísticas
ao perceber que em parte
está afogada não
consegue se livrar das
metades secas e molhadas
com asa à barbatana
rodeada
por seu anjo exterminador


Um homem que dança em fachadas

Um homem que dança em
fachadas
pode ter um destino trágico

Na iminência de uma
queda desemboca em fusão
irreversível com a
cidade

(testas asfálticas inabdicáveis)

Mas imagina só que alegria
seria dançar em
fachadas
de gravidade contrária

Há quem a busque no mais
alcoólico dos balés
ou há quem dance
com estrelas
com sentimento em regresso?



domingo, 8 de abril de 2012

All-stars nesse puzzle fotográfico

tive um sonho em pixels acordei
quadradinha eram como se fizessem
parte de um puzzle, difícil congelar um
sonho em uma fotografia

preciso de um calço
para equilibrar mente em corpo manco
e às vezes o contrário
qual é o seu número senhorita?
(o número de vezes que meu cérebro me sabota)

lembro do meu primeiro all-star tinha
um nicho especial para guardar uma
(única) moeda

all I need is
(Oh John)
all stars nesse puzzle fotográfico quando
eu era criança parecia divertido

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Poesia que nasce bastarda

Sr. Cientista
Cabe aqui uma colocação
não há prosa que não se exprima à auto-falantes
melancolia é estado gasoso
altamente inflamável
habita
(inspira)
inabita
(suspira)
por isso tenho cuidado com cigarros
e com dragões

Do entorpecimento da amizade

[p/ Raquel Beatriz]

Algumas pessoas
Permanecem

com m smo súb to


qu  esqu c  mos

de quando
de quando
de quand?

o  pr mei o

    en   ntro

quinta-feira, 1 de março de 2012

Caravelas
carangueijos
caravaggios
caramigos
perdi a
inspiração.