terça-feira, 29 de junho de 2010

Caixa-Parasita para um Cinema Itinerante


A cidade se agitava com a chegada daquilo que nem sabia-se o que era. Algo que estranhava o olhar de muitos moradores daquela cidadezinha. Logo, amontoaram-se os curiosos para ver o caminhão descarregar. Nele havia algo escrito, alguma coisa e o nome “cinema”. Qual o que? Cinema, para muitos, não era.
Lonas dobradas foram sendo retiradas uma a uma do caminhão. Foram esparramadas sobre o gramado do campinho de futebol da praça. Naquela manhã, os garotos não jogaram a pelada das manhãs, mas se contentaram em observar e apostar um com os outros o que era aquilo que havia chegado na cidade. “É um circo, certeza que é um circo!” - um dos garotos gritou afobado certo de que, como primeiro a dar o palpite, ganhara a aposta. “Circo? Não é circo! Você já viu circo quadrado?” - retrucaram. E continuaram as especulações, atentos a cada manejo dado pelos operadores. “Mas cinema....não é.”
Retiraram um motor de uma caixa e inflaram três balões que logo subiram alto, tirando a atenção do asfalto cor de terra. As crianças e os demais ociosos olhavam fixo o céu para ver o movimento engraçado dos balões.
Depois dos balões, os operários repetiram o processo com as lonas que até então, para mim, pareciam estar apenas esparramadas na grama.
Como se ganhasse vida, um prédio foi subindo, subindo, subindo, subindo, subindo, subindo, subindo, subindo, subindo, subindo... Ficamos por horas vendo ele subir e se erguer como se quisesse abraçar todo seu redor. Os tubos que balançavam nos cantos do seu teto tremiam como se a minhocas escondidas nos buracos daquela grama também tivessem inflado e em vigança, resolvido agitar toda a cidade.
Algumas crianças chegaram mesmo a acreditar que o cinema sairia voando se um engraçadinho qualquer resolvesse cortar as cordas que o prendiam no chão. Mas ningguém queria ver o cinema indo embora.
Ele foi.
A cidade voltou a se aquetar, os garotos tiveram seu campinho de volta e os olhares retornaram ao asfalto cor de terra.
Em uma semana vi um prédio sendo enchido como bóia e como se eu estivesse mesmo boiando, assisti cinema pela primeira vez.

Relato de Junho de 2010.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Você pode ver estrelas em uma sala de cinema?


Qual a diferença entre assistir um filme dentro de uma sala de cinema ou em outro espaço, como ao ar livre?

São muitas as iniciativas que tentam tirar o cinema uberlândense das mãos monopolizadoras dos cinemas multiplex, localizados dentro de center shoppings. Os cineclubes já ocupam um lugar de destaque no cenário que abrange o audiovisual na cidade. Cinema em museus, praças, no mercado mucicipal, universidades, todo evento fora de um shopping center, e que instigue uma nova experi}ência em assistir um filme, é válido.

Um projeto que já existe há algum tempo é o "Cinemauê - o cinema educa? educa!" o qual busca o enriquecimento do aprendizado universitário por meio de uma experiência diferente. Durante todo semestre do ano passado, foram realizadas sessões nos anfiteatros dos Blocos Y e 3M, com um público médio de 20 pessoas, entre professores, alunos e interessados.

A nova proposta do projeto, agora, é a realização das próximas sessões de Cinema em espaços abertos, em que iremos explorar uma nova percepção através do lugar e ao mesmo tempo aumentar o numero de participantes uma vez o cinema permeará um espaço de fluxo freqüente, público e de fácil acesso: Espaços abertos da universidade!

O primeiro local é o terraço coberto do bloco 5O, aquele ainda para terminar, ao lado do bloco 3Q e que tem uma vista espetacular da Av. Jão Naves e Segismundo Pereira, além de uma visão noturna privilegiada da Biblioteca do Campus Santa Mônica.
Pois então! Leve o seu banquinho e aproveite essa nova experiência, pois essa você não consiguirá ter em uma sala do Cinemais!

10/06 Quinta-feira
21:38h

Curta inicial: Pela primeira Vez, Octavio Cortazar, Cuba, 1967.

Filme: Documentário "1958 . O ano em que o mundo descobriu o Brasil"


Realização:
Cinemauê, Cine Bar e Goma.

Apoio: Dalau (dir. acadêmico arquitetura e urbanismo), Zapi Impermeabilizantes, Supermercado Real, Café Cajubá!

[este post tb pode ser visto em www.idearium.com.br]