quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

O Curioso caso de Benjamin Button

Faz tempo que assisti ao Curioso caso de Benjamin Button, mas, na real (gíria q eu n sei de onde veio nesse momento), teria pouco a dizer. O filme tem uma direção legal, efeitos visuais legais, uma história q apesar de extremamente linear (no sentido de não haver um climax), te prende, oq n deixa q o filme se torne cansativo e uma direção, q apesar de falhas imperdoáveis, merece aplausos.
Mas pelo amor de Deus! Uma velha no abismo da morte contando a história secreta de seu passado? Não, não. Pra sua filha? Espera, espera, ela tem um diário!? E como ela n sabe q a mãe era dançarina se existe uma cena em q ela está na escola de dança da mãe!?

ai, eu realmente estou piorando a cada post.

Mas só resolvi falar desse filme pq tenho lido algumas coisas sobre sua semelhança com Forest Gump, q tem o mesmo roteirista de O curioso caso... Achei um video legal q demonstra isso e esse é o motivo pra esse filme ter um lugar aqui no blog.



terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Apenas Uma Vez


Já faz algumas semanas que vi esse filme e durante meu trabalho na solitaria e vazia ufu em periodo de férias tenho colocado o filme pra rodar enquanto faço as fichas de inventário. Cheguei a uma conclusão, o belo filme q começou bem minha lista de 2009 poderia ser facilmente vendido em cd.
Falando basicamente do roteiro do filme. Um rapaz toca violão nas ruas de Dublin nos seus tempos livres do trabalho como consertador de aspiradores de pó. Uma noite uma garota se encanta com a musica e a voz do rapaz e a partir de então passa a segui-lo até q os dois se tornem parceiros de musica, oq os unem de uma maneira inesperada mas excepcional.

O filme, filmado em poucos dias (se n me engano, 15) tem como atores os musicos Glen Hansard e Marketa Irglova, que apesar de não serem atores desenpenham seus papeis a ponto de aflorar a minha inveja. No filme, eles são apenas apresentados por suas caracteristicas e em nenhum momento são falados seus nomes. É aqui onde começa a minha identificação com o filme. Assim como em Antes de Amanhecer, o roteiro é simples e se lido, provavelmente não teria o mesmo impacto que visto. Nesse caso Apenas uma Vez se mostra um filme extremamente inteligente, intuitivo, auditivo e visual. Foram inúmeras as vezes q me emocionei por um simples olhar, uma frase, um gesto, pelas musicas que cantadas, transformam a cena da calmaria ao ápice da lamúria.
Filmado com câmera digital, nos encontramos no filme como quem estivesse a metros de distancia da cena e a todo momento nos vemos tentando trancrever o que se passa. Apesar de parecer um musical o filme trata a musica de forma simples tratando esta apenas como o fator de união entre o casal, oq não q essas cenas deixam de ser belíssimas. No mais, o filme é uma ótima opção pros editores de filmes caseiros e aspirantes a diretores, mostrando que uma camera digital, pouca verba e talento foram uma ótima mistura.
Pena que n encontrei nenhuma cena no youtube, mas coloquei a musica Falling Slowly na minha Playlist, musica que ganhou melhor canção original no Oscar.

Bom, gosatria de discutur mais sobre esse filme..mas sua complexidade (em sua simplicidade) me deixa atordoada demais pra escrever tdo aqui. Acho q é o pior post de filme q já fiz.
Vou melhorando. Espero q alguem veja e venha falar comigo sobre.

Aqui o Trailer.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

ó minas


Você já pensou em fazer uma loucura, tipo aquelas de viajar de carona por ae, sem rumo, conhecendo lugares, paisagens, pessoas, tipo aquela que mudou a vida de Che Guevara?
Com certeza, não sou dessas malucas que sairia sem rumo por ae, apesar da vontade. Mas nessas viagens com a pesquisa (PIBIC na FAURB) sempre me vem na cabeça essas situações, afinal, como é ótima a sensação de conhecer algo inusitado, pessoas q vc não veria onde vc mora, situações, arquitetura, cultura.

Vou me apaixonando pelo interior de Minas a cada morro q subo.

Algumas fotos da ultima viagem a Sacramento e Araxá.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

entre um cochilo e outro

Para que as férias são melhores se não para poder dormir até mais tarde?

Ando tendo alguns problemas com meu sono há alguns meses. Um tempo atrás era um alarme (desses de casa) insuportável, que tocava várias vezes durante a noite e especialmente finais de semana. Passou-se um mês assim, esse alarme atormentando minha vida. Me diz. Se um alarme tem como função alertar sobre um possível roubo, etc..mas se este aciona por qualquer motivo, sua função será realizada??? Bom, nesse caso não. Muito porque o alrme só era desligado 40 minutos depois ou mais. Se algum ladrão quisesse arrombar o lugar, já o tinha feito e se os donos realmente se importassem, já teriam arrumado o problema.
Quando eu estava prestes a tomar uma medida drástica (n sei qual seria mas eu realmente estava nervosinha), o alrme parou. Ufa! Penso.."terei minhas noites de sono novamente".

Não, me enganei. Snif.

Já fazia algum tempo que alguns bares ao redor tocavam musicas ao vivo no meio da semana, oq nunca me encomodou de fato, afinal, para mim, dormir ouvindo um jazz vindo do Vinil é do meu agrado. Porém, infelizmente, o jazz passou, e as unicas músicas que ouço nas madrugadas agora são a la Victor e Leo e Cia. Quem me conhece sabe q n tenho nada (muito) contra musica sertaneja e que sou fã de Chitãozinho e Xororó (segredo), mas dormir com um cara gritando feito locutor de rodeio não é do meu agrado.

Vou levando.

Chegam as férias. Adoro madrugadas, boas para assistir filmes e ótimas para minhas inspirações. (obs: a maioria dos posts q faço aqui foram feitos depois da meia noite) O único problema é acordar tarde no dia seguinte.
Aqui onde moro é umas das avenidas mais movimentadas da cidade e, levando em conta que moro (praticamente) em cima de um estabelecimento comercial, posso dizer que desde q me mudei pra cá, meus hábitos sofreram modificações. Tive que adaptar meu sono aos barulhos de carros, sirenes de ambulancias, caminhoes de entrega, entre um vizinho e outro q adora compartilhar suas musicas com a vizinhança. Infelizmente um dos jeitos mais simples de poder dormir tranquila foi ir me deitar mais cedo para assim acordar mais cedo antes q o alvoroço do dia começasse.

Problema resolvido? Não!! snif²

Há algumas semanas minha vizinha resolveu trocar seus gatos (sempre tarados e no cio) por um, dois, sei lá quantos cachorros!!! Faz um semana que não consigo dormir, esse projeto de cão late a noite inteira e o dono parece simplesmente ignorar. Nesses momentos me baixa um espírito Flora e a vontade era de...era de...

Alguem tem alguma ajuda pra me dar? Qualquer coisa seria válida. [desespero]

Nesses momentos lembro de algumas aulas de Urbanismo que tive. Lembro de Jane Jacobs, uma jornalista que escreveu um livro criticando arquitetos e urbanistas modernos, colocando-os como responsáveis pela "morte" de vários centros urbanos. Partindo de q "as rus precisam ter olhos", a jornalista diz que, entre outras, a solução seria mesclar comércio, serviços e residencia em vários pontos principais dos EUA, garantindo seu movimento constante.
Bom, admiro muito seu trabalho e a critica que faz. Porém, parto do principio que a arquitetura não é determinista, não pode e nunca poderá solucionar os problemas socias da cidade. Temos sim nosso papel, como todos em suas determinadas profissões, mas pensar em morar meio ao centro de uberlandia, já com os problemas que tenho aqui e pensando q estes tenderiam a piorar, questiono: Será q Jacobs também moraria? [vou encerrar o assunto por aqui pq este se estenderia demais se o prolongasse, fica pras conversas de barzinho]

Ahhh, só qria algumas noites de sono calmo.

paulinha tavares [bocejando].

sábado, 10 de janeiro de 2009

sobre criticas e outras coisas

Antes q possa parecer, gostaria de explicar que todos os textos q escrevo aqui sobre filmes não são críticas. Para isso precisaria de mais conhecemento do que o que eu tenho, que não é pouco mas que adquiro entre leituras e pesquisas nos meus tempos vagos. Mesmo assim, não teria conhecimento suficiemte para analisar uma obra em todos os seus parâmetros. Quem sabe um dia chego lá. Enquanto não vem o completo entendimento, coloco aqui opiniões, intuições, análises pessoais (lia pessoais mesmo) e outras poucas técnicas de q posso falar. Abro espaço para qualquer comentário.

Ainda sobre o assunto.

Durante o tempo em que fizemos Nanquinote, recebemos vários comentários bons. Realmente estes eram maoiores do que os ruins e estes ruins nunca nos fizeram mudar algo totalmente relevante no trabalho, o que não fez com que parássemos por ali. Continuamos avançando na peça e acreditando num caminho q poderíamos seguir. Apesar de todos os elogios, era de interesse de todos do grupo, receber uma critica (leia critica). Uma análise em todos os parâmetros, algo que pudesse fazer (por ironia) criticar a nós mesmos. Afinal, a crítica não deixa de ser um exercício de entendimento, de análise, por aqueles que estão sendo criticados.
Pois bem, quando pensamos que poderia ser a hora, nos deparamos com um pequeno texto em algumas linhas traçando um perfil pessoal e superficial do nosso trabalho. Opiniões vagas, nomes bonitos citados (eles demonstram conhecimento) entre interpretações de juizo pessoal.
Fizemos uma análise da nossa produção? Houve um exercício de reflexão? Não.
Porém me fez desacreditar um pouco mais no teatro de Uberlândia. Algo que faria a alegria de alguns, da Noeli então nem se fala.

Nós, não-atores, levamos a sério um projeto sem fins lucrativos, mal entendidos por muitos, mas feito com a seriaedade que uma Mostra Local de Teatro deveria ter, mas não teve.

Quero deixar aqui um trecho das falas de Roger Ebert, um famoso crítico americano (acho q é americano não tenho certeza), critico de cinema, mas que se aplica também ao teatro entre outras artes.

"Eu acredito que um bom crítico é um professor. Ele não tem as respostas, mas pode ser um exemplo do processo de se descobrir suas próprias respostas. Ele pode notar detalhes, explicá-los, situá-los em um grande número de contextos, refletir sobre por que alguns 'funcionam' e outros jamais poderiam funcionar. Ele pode incentivá-lo a ver filmes mais antigos para expandir o contexto no qual você situará os mais recentes. Ele pode examinar como os filmes tocam vidas individuais e podem ser construtivos ou destrutivos. Ele pode defendê-los e enxergá-los como algo importante em contraponto àqueles que "só querem se divertir". Ele pode argumentar que você se divertirá mais com um filme melhor. Todos temos um número desconhecido mas finito de horas de consciência. Talvez um crítico possa ajudá-lo a gastá-las de maneira mais significativa. (...) Se [meu programa de tevê] 'Siskel & Ebert & Roeper' serviu para alguma coisa, foi ao expor os telespectadores, muitos deles crianças, ao conceito de que era permitido ter opiniões e esperado que você pudesse explicá-las".
(colado do blog Diário de Bordo)


11 dias para LOST!

sábado, 3 de janeiro de 2009

Across The Universe


Chato.

Infezlimente o filme não superou as minhas expectativas. Afinal, é um filme tão badaladinho. Mas já era de se esperar, estruturar um filme inteiro pra q ele se encaixe nas melhores canções dos Beattles não é tarefa fácil. Por ser um musical já esperava o tom cansativo que só Moulin Rouje conseguiu superar dentre os musicais contemporaneos.
Across The Universe tem um roteiro muito fraco, previsível, as diversas cenas musicais não se encaixam na estrutura do filme como um todo e passados 60 min do longa vc já não sabe o q veio antes, teme pelo oq pode vir depois, te trazendo uma vontade enormeeee de passar algumas cenas pra chegar logo no final. Tá, posso estar sendo dura. Mas o filme ganha muito na direção de arte, a maioria das cenas cantada são otimas, bem feitas, criativas e muitas delas se tornarnam (ao meu ver) otimas versões contemporaneas dos clássicos dos Beatlles. Muitas delas ganham um enfoque diferente como Strawberry Filds Forever, I wanna Hold your Hand e I Want you/She is so heavy. Além do mais, todos os atores cantam muito bem, pena que alguns poderiam ser totaalmente dispensáveis e outros melhor trabalhados. É uma pena que o filme se torne um amarrado de clipes legais entre espaços enjuativos. Mas vale a pena ver, afinal, ouvir Beattles é sempre muito bom.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Marley & Eu



Não se engane pelo cartaz bonitinho do filme, muito menos ache que é mais uma historia boba de um cão inteligente e suas proezas, pense menos ainda q é um filme infantil. Marley e Eu não tem como protagonista o cão super mimado e inteligente mas sim as relações de uma familia e quando digo familia, inclua o cão. Marley está ali como observador, lógico q nunca como um ser insignificante mas como um membro de uma familia, que tem seus momentos bons e ruins. Ele não faz parte de um acontecimento mas de toda uma vida, ou quase toda.
A cena em que marley anda de carro com o Sr. e Sra Grogan é uma das mais engraçadas q eu já vi. E umas das ultimas cenas, quando Marley está na maca enquanto John Grogran o carecia é também umas das mais lindas do cinema. Não é exagero.
Créditos a Jennifer Aniston que sempre adimirei por conseguir se distinguir tanto na comédia quando no drama e ao Owen Wilson, que, na verdade, a unica coisa q eu o adimirava era o nariz. Owen transforma seu personagem num homem sensato e calmo mas extremamente simpático, típico do seu gênero, mas nunca deixando isso ser forçado, o que nos faz gostar dele do começo ao fim do longa.

Ah, não se preocupe em sair do cinema querendo um cachorrinho. Vc não vai qrer ter um Marley em casa.


Obs: Esse eh um cartaz chinês/japonês (n sei) do filme, alguma semelhança com O Diabo Veste Prada? hehe pois é o mesmo diretor.

Quem dá mais!?

wow wow wow, 01:28 da manhã e eu estou louca vendo o catálago 33 do site Profiles in History que traz artigos usados em filmes e algumas reliquias q são leiloados por preços, digamos assim, salgadinhos. As fotos são um máximo! ale a pena ver!


Se eu fosse bilhonaria eu compraria:

*Todos os itens da série e filmes do Batman e dava de presente.
*Figurino do Superman da sére Louis e Clark-As Novas aventuras de Superman (se alguem quiser me dar de presente os dvds...o.õ)
*O sabre de luz do Luke Skywalker em Guerra nas Estrelas-O Império Contra Ataca!
*O Chapéu do Indiana Jones!!! (foi por ele e por Jurassic Park q eu quiz ser arquióloga até meus 15 anos de idade)
*O Almanaque de esportes e o skate flutuante do Biff do filme De Volta para o Futuro 2
*
A máscara de madeira do O Máscara! (pra colocar na sala de casa como se fosse aquelas indígenas - gargalhada interior)
*O uniforme do Wolverine em X-Men! (esse eu dava pro Victor participar dos Cosplay do Cerrado aqui em Udi!)
*O escudo do Maximus em Gladiador!
*Os bonecos de A Noiva Cadáver (eu tenho o Victor q comprei na Galeria do Rock em SP mas eu qro o de verdade!!! ><)


by paulinha, cinéfila e desejando ser tremendamente rica algum dia.

Os 150 atores-sósia

Férias é mesmo tempo pra bisbilhotar a internet e ver oq ela tem de melhor a oferecer.
Achei um site incrivel q mostra 150 atores-sósias de holywood. Alguns são realmente idênticos e poderiam se passar pela mesma pessoa pelo menos pelo rosto. Eu sempre confundia mesmo o Adam Sandler com o cara de American Pie, o Jason Biggs. Agora, Leonardo di Caprio e Emile Hirsh??? Paris Hilton e Nicole Richie? (eh q as duas fizeram plastica pra parecer a Barbie Beach) Natalie Portman e Keira Knightley? A Natalie abre a boca pra falar enquanto a Keira tem aquele tik aguniante de falar entre os dentes. RRrrrrr

http://www.denofgeek.com/movies/143688/top_150_actors_that_resemble_each_other.html

have fun.