domingo, 30 de novembro de 2008

Vou ver o mundo, vou ver a vida.


22, 24? já não lembro mais quantas foram as vezes q apresentamos. Mas posso lembrar de alguns momentos, esses sim incontáveis, são fáceis de lembrar. A primeira apresentação, os risos escandalosos dos amigos, que na época, pensávamos que eram os unicos que iríam nos ver. Nanquinóte foi mais do a gnt esperava, mais do que a gnt acreditava...; e olhar pra traz hj é pensar e sorrir pelo q foi.
A Ultima apresentação? Não sei.
Vem aquele aperto qndo vemos nos rostos desesperados um pedido de "bis", de "vcs não podem parar"...ou apenas uma reação de tristeza no cantinho da boca. É nesse momento que me sinto mais Nanquinote do que nunca. O desejo de conhecer o mundo, de fazer mais do que aquilo que está na prateteira do papai me corrompeu. O mundinho sem perigo não satisfaz, ser rei não satisfaz.
Que coisa engraçada é a vida.

...posso ouvir Nanquinote de longe gritando
"Mas eu volto!"


só agradeço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário