sexta-feira, 23 de março de 2007

Inside the Actor's Studio

Essa é uma lista de perguntas famosa do programa americano Inside the Actor's Studio, que entrevista personalidades famosas do EUA. To respondendo ae pra vcs. Quem quiser pode responder e mandar pra mim tb!


01 - Qual sua palavra favorita?
a.l.e.g.r.i.a. (eu acho. acho bonito o som que sai qndo fala)

02 - Qual a palavra que mais detesta?
d.e.s.g.r.a.ç.a (acho horrível)

03 - O que te inspira criativa, espiritual ou emocionalmente?
Músicas melancólicas, as 2 horas antes de pegar no sono, as pessoas na rua...

04 - O que tira sua inspiração?
incompreensão

05 - Qual seu palavrão favorito?
Supercalifragilistic-expialidocious (quando vc não tem nada o que dizer_Mary Poppins)

06 - Que som ou barulho você ama?
gosto daquele barulho de quando se pisa em folhas secas...nas calçadas.

07 - Que som ou barulho você detesta?
arrotos, portas batendo, trovões....ahhhhhhh

08 - Que profissão, além da sua própria, você gostaria de ter seguido?
artista do Cirque du Soleil (huhu)

09 - Que profissão você jamais gostaria de seguir?
açougueira

10 - O que você gostaria de ouvir Deus dizer quando você chegasse aos Portões do Paraíso?
Entra! hauahuahauauhauahua

sábado, 17 de março de 2007

Amor - impulso criativo

Em todo amor há pelo menos dois seres, cada qual a grande incognita na equação do outro. É isso que faz o amor parecer um capricho do destino - aquele futuro estranho e misterioso, impossivel de ser descrito antecipadamente, que deve ser realizado ou protelado, acelerado ou interrompido. Amar significa abrir-se ao destino, a mais sublime de todas as condições humanas, em que o medo se funde ao regozijo numa amálgama irreversível. Abrir-se ao destino significa, em última instância, adimitir a liberdade do ser: aquela liberdade que se incorpora no Outro, o companheiro no amor. "A satisfação no amor individual não pode ser atingida...sem a humildade, a coragem, a fé e a disciplina verdadeiras", afirma Erich Fromm - apenas para acrescentar adiante, com tristeza, que em "uma cultura na qual são raras essas qualidades, atingir a capacidade de amar será sempre, necessariamante, uma rara conquista".
E assim é numa cultura consumista como a nossa, que favorece o produto pronto para uso imediato, o prazer passageiro, a satisfação instantânea, resultados que não exijam esfoços prolongados, receitas testadas, garantias de seguro total e devolução do dinheiro. A promessa de aprender a arte de amar é a oferta (falsa, enganosa, mas que se deseja ardentemente que seja verdadeira) de construir a "experiência amorosa" à semelhança de outras mercadorias, que fascinam e seduzem exibindo todas essas características e prometem desejo em ansiedade, esforço sem suor e resultados sem esforço.
Sem humildade e coragem não há amor. Essas suas qualidades são exigidas, em escalas enormes e contínuas, quando se interessa numa terra inexplorada e não-mapeada. E é esse território que o amor conduz ao se instalar entre dois ou mais seres humanos.

.

[texto do livro Amor Líquido, de Zygmunt Bauman, pags. 21 e 22]

quinta-feira, 15 de março de 2007

Politicamente Incorreto


Um cachorro te ama do jeito que você é.
Adote um.

terça-feira, 13 de março de 2007

Esperança.





Mais de 200.000 crianças vivem em lugares que você nem imagina.
Ajude os desabrigados.
Doe.

QUANDO EU CRESCER QUERO SER IGUAL A VOCÊ

Miranda Priestly (Meryl Streep) in The Devil Wears Prada

é. eu sonho alto.

domingo, 11 de março de 2007

Laranja Mecânica ( Inglaterra-1971 )


ALEX (V.O.)
One thing I could never stand is to see a filthy, dirty old drunkie, howling away at the filthy songs of his fathers and going blerp, blerp in between as it might be a filthy old orchestra in his stinking rotten guts. I could never stand to see anyone like that, whatever his age might be, but more especially when he was real old like this one was.The boys stop and applaud him.


TRAMP
Can you... can you spare some cutter, me brothers?Alex rams his stick into the Tramp's stomach. The boys laugh.

TRAMP
Oh-hhh!!! Go on, do me in you bastard cowards. I don't want to live anyway, not in a stinking world like this.

ALEX
Oh - and what's so stinking about it?

TRAMP
It's a stinking world because there's no law and order any more. It's a stinking world because it lets the young get onto the old like you done. It's no world for an old man any more. What sort of a world is it at all? Men on the moon and men spinning around the earth and there's not no attention paid to earthly law and order no more.

[2ª cena do roteiro]




Anthony Burgess não estava errado ou pessimista.
O mundo moderno que decáia!
E que fique somente o que foi esquecido.
tolerância. tolerância.



***** estrelas

sábado, 3 de março de 2007


Todas as cartas de amor são Ridículas.
[fernando pessoa]


Todas as cartas de
amor são Ridículas.
Não seriam cartas amor se não fossem
Ridículas.


Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.


As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.


Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.


A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.


(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas.)
.
.
[paulinha.pensando em como é. ridícula.]

quinta-feira, 1 de março de 2007

hoje li um poema na aula.
não me perguntem porquê.
semiótica. complicada.

Isto
[Fernando Pessoa]

Dizem que finjo ou minto
Tudo que escrevo. Não.
Eu simplesmente sinto
Com a imaginação.
Não uso o coração.

Tudo o que sonho ou passo,
O que me falha ou finda,
É como que um terraço
Sobre outra coisa ainda.
Essa coisa é que é linda.

Por isso escrevo em meio
Do que não está de pé,
Livre do meu enleio,
Sério do que não é.
Sentir? Sinta quem lê!